FANDOM


Em construção Página em construção!


Essa página ainda está em construção. Ajude-a contribuindo da forma necessária.

Seleção Uruguaia de Futebol
Seleção Uruguaia de Futebol
Seleção Uruguaia de Futebol
Dados
Associação: Asociación Uruguaya de Fútbol
Confederação: CONMEBOL (América do Sul)
Material Desportivo: Puma
Treinador: Óscar Tabárez
Capitão: Diego Lugano
Artilheiro: Luis Suárez (39)
Mais Participações: Diego Forlán (107)
Ranking da FIFA:
Conquistas
Copa do Mundo: (11 participações)
1930, 1950
Copa das Confederações: (2 participações)
nenhum título
Copa América: (41 participações)
1916, 1920, 1924, 1942, 1956, 1959, 1967, 1983, 1987, 1995, 2011

A Seleção Uruguaia de Futebol é organizada pela Associação Uruguaia de Futebol, instituição que administra o futebol no Uruguai. A Associação Uruguaia de Futebol representa o Uruguai nas competições da CONMEBOL e da FIFA. A seleção do Uruguai já conquistou duas Copas do Mundo (1930, 1950), 15 Copas América e duas medalhas de ouro em Olimpíadas, se tornando assim a 3ª seleção mais vitoriosa da América do Sul.

A seleção uruguaia é conhecida no mundo todo por sua camisa celeste, por ter sido a primeira seleção a conquistar uma Copa do Mundo, e por ter calado o Estádio do Maracanã na Copa do Mundo de 1950. Além disso, o Uruguai é conhecido no futebol por grandes jogadores como: Álvaro Recoba; Alcides Ghiggia; Obdulio Varela; Juan Alberto Schiaffino; Enzo Francescoli; e Pedro Rocha. No século XX, os jogadores uruguaios mais conhecidos são Diego Fórlan, melhor jogador da Copa do Mundo de 2010; Diego Lugano, zagueiro de muita liderança; e os artilheiros Edinson Cavani e Luis Suárez.

História

(1900 - 1929) O início até conquista das Olimpíadas

Seleção Uruguaia de 1903 em um amistoso contra a Argentina. Historicamente o futebol tem sido um elemento fundamental no que se refere à aproximação da nacionalidade uruguaia e à projeção internacional da imagem do Uruguai como país, no começo do século XX. A Seleção Uruguaia brilhava nos gramados da América do Sul, a equipe conquistou sua primeira Copa América em 1916. Um ano depois conquistaria o bi-campeonato, dessa vez em casa. Em 1919 perdeu a final para o Brasil por 1 a 0, mas um ano depois conquistaria o tri, novamente em cima dos argentinos. Como a Copa América era disputada de ano em ano até 1929 o Uruguai já tinha sido hexa, vencendo inclusive as edições que sediou o torneio. Já em nível internacional, o Uruguai começou a brilhar, ao alcançar as medalhas douradas nos Jogos Olímpicos de 1924 e 1928, consideradas pela FIFA como mundiais3 . A Seleção Uruguaia deslumbrou na Europa com suas apresentações olímpicas e conquistou a admiração e o respeito do universo esportivo, colocando o futebol sulamericano no mais alto plano de consideração numa época em que o dito continente era ainda ignorado no mapa internacional do futebol. Durante 76 anos o Uruguai foi o único país sulamericano a ocupar o máximo posto olímpico, honra atualmente compartida com a Argentina que desde Atenas 2004 é medalha de ouro, repetindo o êxito nos últimos Jogos Pequim 2008.

Copa do Mundo FIFA de 1930 - A copa do Uruguai

O Uruguai como era bicampeão mundial, foi escolhido para celebrar o primeiro Mundial de Futebol em 1930. A celeste caiu no grupo 3, junto com Peru e Romênia. Venceu o 1º jogo contra o Peru por 1 a 0 com gol de Héctor Castro. Já na segunda partida aplicou uma goleada de 4 a 0 contra a Romênia, com gols de Dorado, Scarone, Peregrino Anselmo e Cea. Nas semifinais enfrentou a Iugoslávia e aplicou uma goleada avassaladora de 6 a 1; com três gols de Cea, dois de Anselmo e um de Iriarte. E na final seria o clássico sul-americano Uruguai vs Argentina, onde 93 mil pessoas viram a celeste golear os vizinhos por 4 a 2, com gols de Dorado, Cea, Iriarte e Castro tendo a celeste como a primeira campeã mundial de futebol. Desse transcendental triunfo o escritor Juán Sasturain disse: "Os uruguaios levaram sempre consigo a glória e a desgraça de ter sido; os argentinos, por anos, a soberba maldição de crer-se o que nunca puderam demonstrar que foram.

Hepta e octa da Copa América e o boicote as Copas de 1934 e 1938

Quatro anos depois da euforia de ter ganho a primeira Copa do Mundo, o Uruguai recusou-se a participar da Copa de 1934 em represália ao boicote europeu na edição anterior. Já em 1935, na Copa América sediada no Peru o Uruguai novamente venceu e conquistou o hepta em cima dos vizinhos argentinos. Na Copa do Mundo FIFA de 1938, Jules Rimet, o criador da competição, convenceu a FIFA a sediar a competição na França, sua terra natal. Por isso, muitos países americanos, incluindo Argentina (a sede provável se o evento fosse na América do Sul), Colômbia, Costa Rica, El Salvador, México, Guiana Holandesa, Uruguai e os Estados Unidos desistiram ou se recusaram a entrar. Em 1942, a Copa América voltou a ser realizada no Uruguai. A celeste conquistou o octa da Copa América após vencer a Argentina novamente. Até ali, já houve 11 finais entre Uruguai e Argentina, sendo que o Uruguai conquistou oito dessas disputas.

Copa do Mundo FIFA de 1950 - Uruguai bicampeão do mundo e o Maracanazo

O Uruguai posando antes da partida decisiva contra o Brasil em 1950. Em pé, da esquerda para a direita, estão Varela, o técnico López, Tejera, dois membros da delegação, Gambetta, Matías González, Máspoli, Rodríguez Andrade e outro membro da delegação; agachados, entre outros dois delegados, estão Ghiggia, Julio Pérez, Míguez, Schiaffino e Morán. Alguns anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial, a FIFA resolveu escolher o Brasil como sede da edição de 1950. A Celeste Olímpica iniciou no Grupo 4 junto com a Bolívia e aplicou uma das maiores goleadas em Copas do Mundo; 8 a 0 nos bolivianos. Destaque para Míguez que marcou 3 vezes. No quadrangular final com Brasil, Suécia e Espanha, a celeste iniciou empatando com a Espanha por 2 a 2; gols de Ghiggia e Obdulio Varela. Já na segunda partida contra a Suécia, venceu por 3 a 2 a Seleção da Suécia com 2 gols de Míguez e um de Ghiggia. A última partida era contra a badalada Seleção Brasileira, que havia vencido as suas duas partidas no quadrangular com goleadas de 7 a 1 na Suécia e 6 a 1 na Espanha. o Uruguai precisaria vencer o Brasil por qualquer placar e o Brasil precisava apenas de um empate. Na partida, o Brasil iniciou vencendo com gol de Friaça, mas o Uruguai empatou com Schiaffino e virou com Ghiggia. O silêncio tomou conta do Maracanã às 16 horas e 50 minutos do dia 16 de julho. Desolados, os quase 200 mil torcedores demoraram mais de meia hora para deixar o estádio. O time brasileiro fez trinta lances a gol (dezessete no primeiro tempo e treze no segundo). Os jogadores cometeram quase o dobro de faltas, um total de 21, contra apenas onze do Uruguai. Jules Rimet não conseguiu entregar a taça e decidiu se retirar. Mas logo depois voltou e Obdulio Varela recebeu a taça. Rimet disse: "Estou feliz pela vitória que vocês acabam de conquistar. Cheia de mérito, sobretudo por ter sido inesperada. Com minhas felicitações". Copa do Mundo FIFA de 1954 - Uruguai semifinalista[editar | editar código-fonte] Quatro anos depois de conquistar o tetra, a celeste voltou a disputar uma Copa do Mundo, desta vez na Suíça. Pegou o Grupo 3 da Áustria, Tchecoslováquia e Escócia. Venceu a Tchecoslováquia por 2 a 0 e a Escócia por 7 a 0. Nas quartas enfrentou a Inglaterra e goleou por 4 a 2 passando para a semifinais para enfrentar a Hungria e acabou sendo goleado pelo mesmo placar que havia feito no jogo com a Inglaterra, 4 a 2.

Mais três títulos da Copa América=

Em 1956, a celeste voltou a conquistar um título e seria o 9º da Copa América, novamente em casa após vencer do Chile. Na Copa do Mundo FIFA de 1958, o Uruguai não se classificou. Já um ano depois em 1959 na Copa América do Equador, venceu novamente os Argentinos por 5 a 0 e levou o 10º título. Até o momento o Uruguai era o maior campeão do torneio. Copa do Mundo FIFA de 1970 - Uruguai semifinalista[editar | editar código-fonte] O Uruguai iniciou a competição no Grupo 2 junto com Itália, Suécia e Israel. Venceu Israel por 2 a 0 na primeira partida com gols de Maneiro e Mujica. Na segunda partida empatou por 0 a 0 com a Itália e na terceira perdeu para a Suécia por 1 a 0. Mesmo assim se classificou em 2º do grupo. Nas quartas enfrentou a antiga União Soviética e venceu por 1 a 0 com gol de Espárrago na prorrogação. Nas semifinais enfrentaria o Brasil, considerado por muitos uma das melhores seleções que já existiu. O Brasil de Pelé, Rivelino e Jairzinho venceu o Uruguai por 3 a 1 de virada após o Uruguai iniciar vencendo com gol de Cubilla. Ainda na disputa do 3º lugar, já abalados a celeste perdeu para a Alemanha Ocidental por 1 a 0.

Três Copas Américas, Mundialito, Jogos Pan-americanos e um Uruguai adormecido em Copas[editar | editar código-fonte]


Capa da revista esportiva argentina El Gráfico que mostra o goleiro uruguaio Rodolfo Rodríguez ao erguer a taça do Mundialito.


Enzo Francescoli venceu as Copas Américas de 1983, 1987 e 1995 e é considerado por muitos como o mais talentoso jogador uruguaio de todos os tempos. Depois de 1970, o Uruguai ficou 10 anos sem ganhar a nenhum título, tabu que foi quebrado em 1980 após a celeste conquistar o Mundialito vencendo o Brasil na final por 2 a 1. O Mundialito foi o campeonato mundial de seleções de futebol campeãs do mundo organizado pela FIFA cada 50 anos e sediado o primeiro no Uruguai. Waldemar Victorino foi o artilheiro da competição com 3 gols e Rubén Paz, o melhor jogador. Três anos depois o Uruguai conquistaria a Copa América em cima do Brasil vencendo a primeira partida por 2 a 0 e empatando a segunda. 4 anos depois conquistaria o bicampeonato, em cima do Chile vencendo por 1 a 0. o Uruguai conquistaria o seu 14º título em 1995, em casa, após empatar com o Brasil em 1 a 1 no tempo normal e vencer por 5 a 3 nas penalidades. Conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de 1983. Já em Copas do Mundo o Uruguai realizava fracas campanhas. Em 1974 foi eliminado logo na primeira fase, sem vencer nenhum jogo. Em 1978 e em 1982 nem se classificaram. Em 1986 no México parou nas oitavas para a Argentina por 1 a 0. Em 1990, também ficou nas oitavas, perdendo para a Itália por 2 a 0. Em 1994 e 1998 não se classificaram. Em 2002 a equipe ficou na primeira fase após empatar o último jogo contra Senegal por 3 a 3. E em 2006 a seleção não se classificou.

Uruguai semifinalista da Copa do Mundo FIFA de 2010 e a volta da Celeste ao caminho dos títulos e medalhas.

Seleção Uruguaia semifinalista da Copa do Mundo de 2010

Diego Forlán, recordista de participações e gols pela Seleção, foi o craque da Copa de 2010. Em 2010, o Uruguai classificou-se para jogar a Copa do Mundo FIFA de 2010 na repescagem, após vencer a Costa Rica por 1 a 0 e empatar em casa por 1 a 1. O Grupo que o Uruguai ficaria na Copa de 2010 seria o A, junto com a França, México e os anfitriões da África do Sul. Empatou a 1ª partida contra a França em 0 a 0. Já na segunda aplicou uma goleada de 3 a 0 na África do Sul, com dois gols de Diego Forlán e um de Álvaro Pereira. E na última partida da fase de grupos, venceu o México por 1 a 0 com gol de Luis Suárez. Já nas oitavas-de-final jogou com a Coreia do Sul. Iniciou vencendo com gol de Luis Suárez, mas deixou a Coreia do Sul empatar e faltando 10 minutos para acabar o jogo, Luis Suárez marcou de novo e colocou o Uruguai nas quartas-de-final para enfrentar Gana. Nessa partida contra Gana, considerado o mais emocionante da Copa,4 o Uruguai saiu perdendo por 1 a 0 más Diego Forlán marcou de falta e colocou o Uruguai de volta ao jogo, que terminou empatado. Após os 30 minutos de prorrogação empatado, Muslera sai errado numa confusão na área aos 120 minutos do jogo, o jogador Ganês cabeceia com o gol vazio, então o atacante Luis Suárez defende a bola com a mão e é expulso. Asamoah Gyan desperdiçou o pênalti que poderia ter classificado Gana no último minuto de jogo. As câmeras da FIFA capturaram uma imagem de Luís Suares desesperado no vestiário após sua expulsão, mostrando apreensão, e comemorando como se fosse um gol após saber que Gana perdeu o pênalti. Logo depois o Uruguai ganharia nas penalidades com o El Loco Abreu fazendo o último gol e classificando a celeste para uma semifinal de Copa do Mundo, o que não acontecia desde 1970. Nas semifinais, o Uruguai enfrentaria o ótimo time da Holanda. Iniciou perdendo após um grande golo de Van Bronckhorst, mas Diego Forlán novamente colocou o Uruguai no jogo. Só que Sneijder em posição de impedimento5 e Robben decretaram o adeus da celeste. Maxi Pereira ainda descontou aos 92 minutos. Na disputa do 3º lugar, Uruguai enfrentou a seleção considerada favorita para ganhar a Copa, seria a Alemanha que após golear a Inglaterra por 4 a 1 e a Argentina por 4 a 0, caiu diante da Espanha por 1 a 0. Mais uma vez o Uruguai mostrou a força do futebol uruguaio contra a Alemanha, e esteve até vencendo o jogo por 2 a 1 com gols de Edinson Cavani e Diego Forlán, mas a qualidade da equipe alemã fez diferença e acabou virando de novo o jogo por 3 a 2. No final da partida aos 92 minutos Diego Forlán acertou um chute no travessão e impediu a reação uruguaia.6 E para fechar o bom desempenho da celeste na copa, Diego Forlán foi eleito pela FIFA como o melhor jogador da competição feito que apenas alguns jogadores sul-americanos conseguiram7 Em 2011, após uma 1° fase não tão boa, tendo empatado duas vezes com Peru e Chile, e ganhado de seleção sub-23 do México por 1 a 0 e terminando em 2° lugar no grupo, a Celeste iria consagrar sua volta ao cenário do futebol mundial eliminando a Argentina na Copa América em partida válida pelas quartas-de-finais, em pleno estádio Cemitério dos Elefantes, localizado na Argentina. O jogo foi 1-1 no tempo normal, e continuou assim na prorrogação. A partida foi para a disputa de penalidades máximas, e terminou em 5-4 para o Uruguai, depois de Carlitos Tévez, chamado na argentina de "jogador do povo", perder um pênalti. O goleiro do Uruguai, Fernando Muslera, argentino de nascimento, foi o grande nome da partida. Depois a Celeste enfrentou a Seleção Peruana, que passou pela Seleção Colombiana nas quartas, pelas semi-finais. Num jogo morno e sem muita emoção, fez 2 a 0 com dois gols de Luis Suárez no segundo tempo. O placard terminou assim e o Uruguai foi para a final. A final foi disputada no dia 24 de julho e o adversário da celeste foi o Paraguai que chegou à final graças a sua sólida defesa e bons resultados nas disputas de pênalti (nas quartas eliminara o Brasil após empate em 0 a 0),mas a celeste não tomou conhecimento do adversário e o Uruguai sagrou-se campeão pela 15º vez ao golear os paraguaios por 3 a 0, com dois gols de Forlán e um de Suárez. Após uma ausência de 12 anos (a última vez havia sido em 1999), o Uruguai voltou a disputar o torneio de futebol dos Jogos Pan-Americanos. Nos Jogos Pan-Americanos de 2011, disputados em Guadalajara, no México, obteve a medalha de bronze ao vencer a Costa Rica por 2x1.8

O retorno aos Jogos Olímpicos em 2012

Com o vice-campeonato no Campeonato Sul-Americano de Futebol Sub-20 de 2011, o Uruguai se classificou para os Jogos Olímpicos de 2012, com sede em Londres, Inglaterra, algo que não ocorria desde o título dos Jogos Olímpicos de 1928. No Torneio Olímpico de de Futebol de 2012, o Uruguai teve uma vitória e duas derrotas sendo eliminado ainda na fase de grupos.

Seleções em Copas do Mundo

Jogadores Famosos

Uniforme

Títulos

Estatísticas e Recordes

Curiosidades

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória