FANDOM


Marcelo Oliveira
Marcelo Oliveira.jpg
Informações Pessoais
Nascimento 4 de Março de 1955 (62 anos)
Cidade Natal    Pedro Leopoldo, MG, Brasil Bandeira do Brasil.png
Altura 1,70 m
Posição Ex-Meia Atacante
Nacionalidade Brasileira Bandeira do Brasil.png
Informações do Clube
Clube Atual Sem Clube
Clubes de Juventude
1969-1972 (4 anos) Atlético
Clubes Profissionais
Anos Clubes Jogos(Gols)
1972-1985 (14) Atlético Mineiro
Botafogo
Nacional
Desportiva
América
285   
Seleção Nacional
1975-1977 Brasileira Bandeira do Brasil.png 2 gols
Times que Treinou
2003-2016 (14 anos) Atlético Mineiro
CRB
Ipatinga
Paraná
Coritiba
Vasco
Cruzeiro
Palmeiras
Marcelo de Oliveira Santos Uzai, mais conhecido como Marcelo Oliveira (Pedro Leopoldo, 4 de março de 1955) é um ex-futebolista que atuava como atacante e hoje é treinador de futebol brasileiro. Atualmente, não possui clube.

Carreira

Como atleta

Oliveira se juntou ao Atlético Mineiro em 1969, e foi para o time profissional três anos depois, sob o técnico Telê Santana. Chegou a disputar pela seleção brasileira, em 1975, os Jogos Pan-Americanos e a Copa América, além das eliminatórias para a Copa de 1978. Em 1977, era titular do time vice-campeão brasileiro invicto , tornando-se um dos maiores ídolos do Galo (com 104 gols assinalados).

Em 1979, acabou sendo vendido ao Botafogo .Passados os três primeiros meses no futebol carioca, Marcelo comprou seu passe e o alugou em seguida para o Nacional, de Montevidéu.

Voltou ao Atlético em 1983 (contribuindo na conquista do Hexacampeonato Mineiro) e explica: "Como estava prestes a me casar, preferi voltar para o Galo." Marcelo teve passagens ainda pela Desportiva Ferroviária e pelo América Mineiro, onde encerrou sua carreira em 1985.

Pela Seleção Brasileira, fez sete partidas e marcou dois gols entre 1975 e 1977. Conquistou os Jogos Pan-Americanos de 1975 e o Torneio de Cannes de 1974, pelo time Sub-18.

Como treinador

Após um período como comentarista esportivo na Rede Minas, Oliveira começou sua carreira como técnico na categoria de base do Atlético Mineiro e por lá ficou durante muito tempo. Foi treinador da equipe profissional por 6 vezes, sendo a última entre os meses de agosto e dezembro de 2008. Em 25 jogos comandando o Atlético, garantiu uma das vagas para a Copa Sul-Americana 2009. Na sequência, saiu para a entrada de Emerson Leão.

Em 2010 foi contratado para treinar o Ipatinga. Após a derrota de 2–0 para o Paraná, Marcelo Oliveira foi demitido.

No mesmo ano assumiu o comando do Paraná Clube, deixando o time em outubro. Em 18 de novembro foi anunciado como o novo técnico do Coritiba para a temporada 2011, substituindo Ney Franco.

Sua passagem pelo Coritiba foi a mais longa e vitoriosa da sua carreira até então levando o time a dois títulos estaduais e duas finais da Copa do Brasil. Foi demitido após a derrota por 3–0 para a Portuguesa em 5 de setembro de 2012.

Coritiba

No Coxa, Marcelo levou o time ao título do Campeonato Paranaense de forma invicta, com 20 vitórias e 2 empates. Entre os dias 3 de fevereiro e 5 de maio, conseguiu o recorde mundial de 24 vitórias seguidas, reconhecido pelo Guinness. Chegou à final da Copa do Brasil, perdida na regra de gols fora de casa. No Brasileirão, terminou na 8ª colocação, classificando o clube à Sul-Americana de 2012. Em 16 de novembro, renovou seu contrato com o Coritiba até o fim de 2012.

Começou 2012 sendo campeão do Campeonato Paranaense, depois de derrotar seu arquirrival Atlético-PR na final da competição. Em 1º de março, na partida em que o Coxa venceu o Toledo por 1–0, Oliveira chegou à marca de 84 jogos dirigindo o time, ingressando assim na lista dos 10 técnicos que por mais vezes comandaram a equipe. Ainda em março, Marcelo foi considerado pelo Institute of Football Coaching Statistics o melhor técnico do Brasil e o 14º do mundo nos 12 meses precedentes. Em 6 de maio, Marcelo completou 100 jogos comandando o Coritiba no empate por 2–2 no primeiro Atletiba da decisão do estadual, disputado fora de casa. Chegou na final da Copa do Brasil, que foi disputada contra o Palmeiras, após o Coxa ter eliminado o Nacional-AM na 1ª fase, o ASA na fase subsequente, o Paysandu nas oitavas de final, o Vitória nas quartas de final e o São Paulo na semifinal. O Coritiba foi o único representante paranaense no Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro em 2012. O Coxa também disputou aSul-Americana neste ano. Em setembro, após uma série de maus resultados, Marcelo Oliveira foi demitido do Coritiba. Pelo clube paranaense, Marcelo disputou 131 partidas, obtendo 74 vitórias, 25 empates e 32 derrotas, atingindo um aproveitamento de 62,8%.

Cruzeiro

Depois de ser demitido pelo Vasco da Gama, foi contratado pelo Cruzeiro algumas semanas depois. No princípio houve desconfiança da torcida pois o treinador fez grande história com a camisa do Atlético Mineiro quando ainda era jogador, mas essa impressão foi revertida. Sua estreia pela equipe foi no jogo de abertura do Campeonato Mineiro, no dia 3 de fevereiro de 2013 contra o maior rival do Cruzeiro. O time celeste venceu o Atlético Mineiro por 2 a 1 em jogo que marcou a reabertura do Mineirão.

No dia 13 de novembro de 2013, contabilizando 59 jogos pelo Cruzeiro (45 vitórias, 6 empates e 8 derrotas), Marcelo Oliveira conduziu o Cruzeiro ao título do Série A do Campeonato Brasileiro de Futebol, transformando o clube mineiro no campeão mais precoce na era dos pontos corridos. Seis dias depois, Oliveira renovou seu contrato por mais um ano com o clube. Ao fim da temporada, foi eleito pela Confederação Brasileira de Futebol o melhor treinador do Campeonato.

Em 2014, Oliveira comandou o clube na conquista do Campeonato Mineiro de forma invicta.

No dia 27 de junho, durante amistoso contra o América do México, Oliveira celebrou 100 jogos no comando da equipe celeste, como o treinador de melhor desempenho na história do clube. Em 100 jogos, foram 69 vitórias, 16 empates e 15 derrotas. Um aproveitamento de 74,44%.

No dia 23 de novembro, conquistou antecipadamente o segundo título do Campeonato Brasileiro no comando do Cruzeiro, com a vitória sobre o Goiás por 2 a 1. No dia 1 de dezembro, foi eleito o melhor técnico do campeonato, integrando a 'Seleção do campeonato' no Prêmio Craque do Brasileirão.

No dia 23 de março de 2015, após a partida contra o América-MG pelo Campeonato Mineiro, vencida por 2 a 0, Marcelo Oliveira alcançou a centésima vitória em 152 jogos comandando a equipe do Cruzeiro. Com um aproveitamento de 72,1%, ele se tornou o técnico com o melhor rendimento na história do clube.

No dia 2 de junho de 2015, Marcelo é demitido após má atuação consecutiva do clube até a quarta rodada do Campeonato Brasileiro e a eliminação na Copa Libertadores, após uma derrota pelo clube argentino River Plate por 3 a 0 no Mineirão, no dia 27 de maio de 2015.[17]

Palmeiras

Em 10 de junho, é contratado pelo Palmeiras para substituir Oswaldo de Oliveira. E conquistou a Copa do Brasil de 2015 após bater o Santos na final, nos penâltis.

Estatísticas

Até 03 de dezembro de 2015.[18]

Ano Clube Jogos Vitórias Empates Derrotas  % de Vitórias
2002–2008 Atlético Mineiro 53 18 17 18 44.65%
2011–2012 Coritiba 131 74 25 32 62.85%
2012 Vasco da Gama 10 2 2 6 26.67%
2013–2015 Cruzeiro 169 105 32 32 68.44%
2015– Palmeiras 39 18 6 15 46.15%
Total 402 217 82 103 53,98%

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória